quarta-feira, 25 de Junho de 2014

As memórias e os dias felizes

Os tachos com guisados a fumegar trazem-me memorias de infância, quando a minha avó preparava as refeições lá em casa. Nunca fui muito adepta de guisados. Misturar todos os ingredientes numa panela e vê-los ensopados em molho, fazia-me sempre torcer o nariz, como ela dizia. Claro que havia algumas (poucas!) excepções, como as lulas com batatas, que ficavam sempre uma delícia. Num destes dias, lembrei-me disso e voltei a fazer lulas guisadas, que já não comia há imenso tempo. E como o Verão teima em não chegar e os dias ainda se vão fazendo de chuva e algum frio, ainda sabe bem levantar a tampa do tacho e sentir o aroma da comida de conforto, acabada de fazer, ainda a fumegar e levá-la, assim, até à mesa para provar o sabor das memórias, que nos trazem os dias felizes.

Lulas guisadas com batatas


Ingredientes:
(para dois)

400 gramas de lulas limpas, cortadas em argolas (usei congeladas)
3 batatas médias, descascadas e cortadas em cubos
6 rodelas de chouriço, sem a pele
1 cebola pequena, cortada em meias luas
1 folha de louro
1 decilitro de vinho branco
1 colher (chá) de pimentão doce
1 decilitro de tomate em pedaços
1 piri piri
Sal

Fiz assim:
Num tacho, levei ao lume as rodelas de chouriço e deixei fritar para libertarem a gordura e alourarem (no fim, deixei apenas o equivalente a uma colher de sopa da gordura no tacho e rejeitei a restante.). Juntei a cebola, para alourar um pouco e, depois acrescentei as lulas. Refresquei com o vinho e um pouco de água e adicionei o tomate, o louro, o pimentão e o piri piri. Tapei e deixei cozinhar, durante cerca de meia hora. Juntei, então as batatas e retifiquei o sal. Deixei cozinhar mais uns dez minutos até as batatas estarem cozidas e as lulas tenras. Retirei do lume e servi.


Espero que gostem e experimentem.
E não se esqueçam de passar na página do Sonhos no facebook!


Tenham um dia delicioso.




___

segunda-feira, 23 de Junho de 2014

Para petiscar

As tardes de Domingo são, por si só, motivo de petiscos cá em casa. Um lanche a dois é sempre celebrado com o toque de carinho que colocamos em tudo o que fazemos. Assim, o sabor daquilo que levamos para a mesa, tem sempre algo de especial. Um pouco do nosso amor. A frescura dos dias que chegaram com o Verão, não nos permite ir picnicar por aí mas, sempre que apetece, levamos a mesa para a varanda e, com o vento a revoltar os cabelos, cada dia pode ser uma celebração.

Gambas com alho e tomate


Ingredientes:

500 gramas de gambas congeladas
2 colheres (sopa) de azeite
4 dentes de alho, laminados
2 colheres (sopa) de polpa de tomate
1 decilitro de whisky
1 malagueta
1 colher (chá) de pimentão doce
Sumo de 1 limão
Sal e pimenta
Coentros picados

Fiz assim:
Descongelei ligeiramente as gambas e descasquei-as, deixando os rabos e as cabeças. Reservei. Num tacho largo, levei o azeite ao lume e juntei os alhos. Deixei aquecer até os alhos dourarem ligeiramente e acrescentei as gambas. Quando começaram a ganhar cor, juntei o whisky, o sumo de limão, a polpa de tomate, o pimentão doce e a malagueta. Temperei de sal e pimenta e mexi com uma colher de pau. Deixei ferver durante uns cinco minutos, até o molho engrossar. Retirei do lume e polvilhei com coentros picados. Servi com pão torrado.


Uma delícia! Espero que gostem e experimentem.
E não se esqueçam de espreitar a página do Sonhos no facebook.


Tenham uma semana deliciosa.




___

terça-feira, 17 de Junho de 2014

Uma parceria com a Dulcis

É com muito gosto que anuncio a parceria do Sonhos com o projecto Dulcis, criado devido ao aumento do gosto das pessoas pela cozinha e com o objectivo de nos proporcionar ainda melhores receitas.
Neste link podem consultar as lojas onde os produtos dulcis se encontram disponíveis para venda. Depois é só fazer as delícias de todos, lá em casa.
Obrigada, à Dulcis pela iniciativa.

segunda-feira, 2 de Junho de 2014

Uma sobremesa crocante

O Sol voltou para nos deitar a língua de fora. Só para dizer que veio, mas por pouco tempo. Parece que mais para o fim da semana já chove, outra vez. E enquanto os últimos dias de Primavera nos pregam estas partidas tristes, os frutos do Verão já chegaram para nos deliciar o paladar. Às pequenas e escuras bagas dos mirtilos juntaram-se as amoras e framboesas para dar cor a um crumble que ficaria demasiado pálido apenas com marmelos, pensados inicialmente. Assim juntei a acidez com o doce e a cor viva com os tons menos fortes. E foi desta forma que surgiu uma sobremesa crocante de Verão, para saborear com gelado ou chantilly, nos dias que ainda sabem a Primavera.

Crumble de marmelos com frutos vermelhos


Ingredientes:

200 gramas de farinha sem fermento
100 gramas de açúcar mascavado escuro
100 gramas de margarina sem sal, fria e cortada em cubos
1 marmelo, descascado e cortado em gomos finos (reguei com sumo de limão para evitar a oxidação)
200 gramas de frutos vermelhos (usei mirtilos, framboesas e amoras)
Canela gosto

Fiz assim:
Liguei o forno a 180º. Numa taça misturei a farinha com o açúcar e a margarina, trabalhando a massa com as pontas dos dedos, até obter uma farofa. Barrei uma assadeira com margarina e dispus a fruta no fundo. Polvilhei com canela e distribuí a massa por cima. Levei ao forno, durante cerca de 30 minutos.


Espero que gostem e experimentem.
E não se esqueçam de espreitar a página do Sonhos no Facebook.


Desejo-vos uma semana deliciosa.




___

quinta-feira, 22 de Maio de 2014

Os dias em cheio

Há dias em que todo o tempo do mundo nos parece pouco. Em que as horas, mesmo que fossem em duplicado, não chegariam para tanto. São dias de correria, de stress, de muitos contratempos e de chegar a casa já sem fôlego nem forças para mais nada. Aliado a tudo isto, ainda veio a chuva, dar uma ajuda a pintar de cinzento, um dia já de si bastante sombrio.
Chegar a casa é como que um alívio, uma sensação de cansaço mas, simultaneamente, uma excitação pelo dever cumprido. E só me apetece descansar, ir ao encontro do meu ombro gémeo e fechar os olhos, aninhada no sofá.
É para esses dias que guardo sempre, no congelador, uns salgadinhos, para fazer um jantar apressado e contrariar a agitação do dia.

Croquetes de carne


Ingredientes:

Carne de vaca
Carne de porco
Bacon
Chouriço de carne
Vinho branco
Cebola
Alho
Azeite
Louro
Salsa
Caldo de carne
Sal e pimenta
Pão sem côdea
leite
Pão ralado
Ovos


Fiz assim:
Esta receita é feita sempre a olho: levei um tacho largo ao lume, com o azeite, uma folha de louro, a salsa, a cebola picada e o dente de alho laminado. Deixei fritar um pouco e juntei as carnes, cortadas em cubos pequenos, o bacon em tiras e o chouriço às rodelas (sem a pele). Temperei com sal e pimenta e deixei alourar um pouco. Acrescentei vinho para refrescar e, depois de evaporar, juntei um pouco de caldo de carne. Deixei estufar bem, até as carnes estarem tenrinhas. (Se houver carne já estufada, podem utilizar e saltar esta parte). Retirei do lume e deixei arrefecer um pouco. Piquei as carnes e voltei a colocar tudo no tacho, aproveitando o molho, rejeitei apenas a folha de louro e a salsa. Levei novamente ao lume e envolvi bem a carne no molho. Acrescentei duas gemas (consoante a quantidade de carne) e envolvi novamente. Numa caçarola levei ao lume leite suficiente para amolecer um ou dois pães (tipo carcaça) de véspera. Parti o pão em pedaços e coloquei-os numa taça. Deitei o leite por cima e tapei com uma tampa para o pão ficar bem amolecido. Passei num passe-vite, rejeitando os pedaços de pão que ficaram na parte de cima. Juntei a pasta obtida no tacho da carne e envolvi tudo muito bem. Deve ficar uma massa moldável mas não deve ficar seca. Moldei os croquetes, passei por pão ralado, ovo batido e novamente pão ralado. Fritei em óleo quente. E congelei alguns, antes de os fritar, para os dias que passam a correr.


Estes croquetes ficam sempre muito bons.  São receita da minha mãe e fazemos muitas vezes em conjunto, para termos sempre em casa.


Espero que gostem e experimentem.


E não se esqueçam de espreitar a página do Sonhos no facebook.
Tenham um dia delicioso!




___

segunda-feira, 19 de Maio de 2014

Saborear o Verão

Depois de uma breve pausa, voltei já com vontade de saborear receitas refrescantes, para contrariar o calor que o mês de Maio nos tem proporcionado. Os frutos vermelhos deram a cor necessária a esta bebida e o Domingo ajudou a desfrutá-la. E a companhia também.

Batido de morango e framboesa


Ingredientes:
(para dois copos)

200 gramas de morangos, sem pé e cortados ao meio (usei congelados)
100 gramas de framboesas
2 colheres (sopa) de natas frescas
2,5 decilitros de leite bem frio
1 colher (sopa) de mel


Fiz assim:
Coloquei a fruta no copo da bimby e programei 15 segundos na velocidade 9. Acrescentei os restantes ingredientes e programei 1 minuto na velocidade 6. Verti em copos altos e servi.


Espero que gostem e experimentem
E não se esqueçam de passar na página do Sonhos no facebook.


Tenham uma excelente semana.




___

segunda-feira, 7 de Abril de 2014

Um pequeno-almoço de Domingo

Ao Domingo sabe bem acordar mais tarde. A certeza que não há nada de extraordinário para fazer, dá-nos um gostinho delicioso de poder ficar na cama e a preguiça arrasta-nos para um sono já fora de horas. E assim, quando os olhos se abrem, já com o dia entra resplandecente pela janela. O Sol, com os seus raios carregados de luz, transmite um calor tão único que apetece logo sair dali e ir a correr observá-lo de mais perto, ainda que a noção da distância seja uma mera questão retórica. E, um Domingo assim merece um pequeno-almoço especial, com scones barrados com manteiga e uma jarra de flores para acompanhar.

Scones de buttermilk com maple syrup 


Ingredientes:
(para cerca de 16 scones)

425 gramas de farinha com fermento
2 colheres (sopa) de açúcar demerara
225 gramas de margarina, fria, cortada em cubos
175 ml de buttermilk
175 ml de maple syrup
1 gema

Fiz assim:
Aqueci o forno a 200º. Numa tigela, deitei a farinha e o açúcar e emvolvi. Acrescentei a margarina e misturei com as pontas dos dedos, até obter uma mistura areada. Misturei o buttermilk com o maple syrup noutra tigela  e, depois juntei-os à massa. Envolvi com um garfo até formar uma massa leve. Polvilhei a bancada com farinha e coloquei ali a massa. Formei bolas de massa e espalmei-as, obtendo círculos de cerca de 1 centímetro de espessura. Coloquei-os num tabuleiro, forrado com papel vegetal e pincelei-os com a gema batida. Levei ao forno cerca de 20 minutos, ou até estarem douradinhos. Retirei do forno e deixei arrefecer sobre uma rede. Servi, barrados com manteiga.


Uma óptima forma de começar o dia.


Espero que gostem e experimentem.
E não se esqueçam de espreitar a página do Sonhos no facebook!


Desejo-vos um semana cheia de sol!






___

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

Porco no tacho e as flores que a vida nos dá

Já estamos em Abril. Parece incrível porque ainda foi no outro dia que celebrámos o Natal e agora já andamos a pensar nos preparativos da Páscoa. O tempo corre e não espera por ninguém. Uma das coisas que gosto em Abril é poder ter este novo horário e saber que, cada vez que avançamos mais no calendário, os dias vão ficando maiores e isso dá-me um ânimo diferente. Chegar a casa e ainda ter luz natural para poder fazer as coisas é muito bom: dá aquela sensação agradável que o tempo rende. A parte chata é que este Abril entrou carregado de chuva, daquela que parece não nos querer deixar. Depois dos dias tão deliciosamente primaveris de meados de Março, parece que voltámos ao Inverno. Não só com chuva mas também com algum frio à mistura.
É aborrecido ver o dia lá fora e não poder sequer ir à varanda ver as flores que começam agora a desabrochar. A estrelícia coitada, mal mostrou os tons alaranjados, foi logo fustigada com ventos e chuva, o que me deixa a pensar que não vai resistir muito tempo à intempérie.
Resta, por isso, aproveitar o tempo para fazer algumas arrumações dentro de casa e preparar o jantar, com a certeza que ainda o vamos conseguir saborear sem recorrer à luz artificial. Porque temos que aproveitar as flores que a vida nos dá, mesmo que jardim não seja perfeito. Há-de chegar a Primavera.

Febras de porco recheadas com farinheira


Ingredientes:
(para duas pessoas)

4 febras de porco
1/2 farinheira, sem a pele
1 colher (sopa) de vaqueiro para porco
1 decilitro de tomate triturado
2 decilitros de cerveja
Sal e pimenta



Fiz assim:
Temperei as febras com sal e pimenta e dividi por elas a carne da farinheira. Enrolei a carne e prendi-a com palitos, de modo a ficar bem fechada. Levei um tacho ao lume com a margarina até derreter. Acrescentei os rolinhos de carne e deixei alourar de ambos os lados. Refresquei com a cerveja e adicionei o tomate. Tapei e deixei cozinhar até a carne estar tenra e o molho reduzir, o que demorou cerca de meia hora. Servi acompanhado com batatas fritas.



Esta carne fica muito saborosa e suculenta. A farinheira, de aromas intensos, nem sempre é do agrado de todos mas cá em casa, felizmente, todos gostamos.



Espero que gostem e experimentem.
E não se esqueçam de espreitar a página do Sonhos no facebook.
Desejo-vos um dia fantástico!



___

segunda-feira, 31 de Março de 2014

Caixinhas de pão para dias de chuva

A chuva voltou para nos atormentar. Ontem ficámos todo o dia presos em casa, devido à intempérie que se abateu sobre um Domingo em que também nos tiraram uma hora. Eu até gosto desta hora dita de Verão: anoitece mais tarde, o que permite chegar a casa com a luz do dia, como que a dizer-nos que ainda não é tarde. E, sendo dia de descanso, proporcionava-se um passeio para ver a noite chegar. Mas, com tanta chuva, apetece mais ficar em casa e fazer um lanchinho de forno, para ser saboreado, ainda a fumegar.

Ovos no forno em caixinhas de pão


Fiz assim:
Retirei a côdea a duas fatias grandes de pão saloio e forrei dois ramequins (untados com margarina) com elas. Levei uma frigideira anti-aderente ao lume e salteei quadradinhos de chouriço até ficarem douradinhos e estaladiços. Dividi o chouriço pelos ramequins e, por cima coloquei dois ovos. Acrescentei uma colher (café) de natas, folas de tomilho e uma pitada de sal. Barrei as pontas do pão com margarina e levei ao forno bem quente, durante cerca de 15 minutos, até a clara de ovo ficar firme, mas a gema ligeiramente líquida.


Estes ovos ficam uma delícia. O pão, ligeiramente humedecido por dentro e, simultaneamente, estaladiço por fora, fica com uma textura muito agradável, a contrastar com a cremosidade do ovo. O chouriço e o tomilho intensificam os sabores, conjugando-se perfeitamente.


Espero que gostem e experimentem. E tenham uma semana deliciosa.



___

terça-feira, 11 de Março de 2014

Um creme delicioso da cor da Primavera

Será que a Primavera tem cor? Quando era pequena, desenhava a Primavera de todas as cores, do tom mais belo que nos é oferecido pelas flores, que agora começam a surgir nos campos, alegrando-os, embelezando-os. A Primavera era da cor do Sol, da cor do mar e tão verde quanto as folhas da árvore mais frondosa podem ser. A Primavera era branca, da cor que pintava as cerejeiras nesta altura do ano e, vaidosa, vestia-se da cor dos pássaros, que entoavam os mais doces cantos e bailavam graciosamente, ao ritmo da sua própria melodia. E, como que por magia, são todas estas cores que vejo hoje, ao olhar pela janela: o dia lá fora cheio de luz e calor. Porque a Primavera, que sempre me habituei a pintar, já chegou. E veio no seu vestido mais belo e reluzente. É tão bom recebê-la de braços abertos e perceber que hoje, neste dia do meu aniversário, podemos vê-la, senti-la e saboreá-la. Sorridente e deliciosamente convidativo, assim está o dia. É como se tivesse sido pintado com as mais belas cores da Primavera! Da minha Primavera! Porque a Primavera pode ter as cores que lhe quisermos dar... e hoje apeteceu-me pintá-la num tom amarelo-maracujá.
E dar-lhe este magnífico sabor!

Curd de maracujá


Ingredientes:

250 gramas de polpa de maracujá (usei 2 maracujás amarelos)
120 gramas de açúcar
100 gramas de margarina
1 pitada de sal
Sumo de limão (algumas gotas)

Fiz assim:
Juntei todos os ingredientes no copo de bimby (retirei a maior parte das sementes dos maracujás) e programei 10 minutos, na velocidade 4, temperatura 90º. Retirei e deitei em frascos esterilizados. Depois de arrefecer, fechei bem os frascos e reservei no frigorífico até ao momento de utilizar.


Para rechear tartes ou saborear com biscoitos, este creme fica delicioso e muito aromático. Fi-lo para utilizar no próximo fim-de-semana, numa tarte para levar à mesa da celebração dos nossos aniversários que, por curiosidades de calendário, são separados por quatro dias e, por isso, temos optado por festejá-los juntos. 


Espero que gostem e experimentem.
E não se esqueçam de passar na página do Sonhos no facebook.


Desejo-vos um dia fantástico.




___